NOTÍCIAS

18/04/2019
Preste atenção no botijão de sêmen
Para garantir o potencial máximo de fertilidade do sêmen congelado nas palhetas, o botijão de nitrogênio líquido deve ser manejado corretamente

Quando foi a última vez que você pensou sobre o armazenamento de sêmen e a gestão do botijão de nitrogênio líquido? Para garantir o potencial máximo de fertilidade do sêmen congelado nas palhetas, o botijão de nitrogênio líquido deve ser manejado corretamente. O botijão do nitrogênio líquido consiste em um tanque dentro de outro tanque, com isolamento a vácuo entre os tanques interno e externo.

Os botijões de nitrogênio líquido devem ser armazenados em uma área limpa, seca e segura, para garantir uma vida longa ao botijão, criar um ambiente seguro para o pessoal que o utiliza e para evitar roubo. Se o botijão tiver que ser transportado, prenda-o firmemente durante o transporte para evitar queda e danos no botijão, ambos geralmente resultam na perda prematura de nitrogênio líquido.

Independe de onde o botijão está armazenado, seja num escritório ou transportado em um veículo, um inventário detalhado do sêmen deve ser facilmente acessível, assim as palhetas podem ser localizadas e removidas do botijão rapidamente para evitar a exposição prolongada do sêmen a variações de temperatura.

Abaixo da linha de congelamento

Ao remover uma palheta do botijão de nitrogênio líquido, deve-se trabalhar rapidamente e manter a caneca e palhetas de sêmen não utilizados tão baixo quanto possível no pescoço do botijão. A melhor prática é manter todas as palhetas não utilizadas abaixo da linha de congelamento do pescoço do tanque. Embora a temperatura do nitrogênio líquido seja de -196 °C, existe um gradiente de temperatura no pescoço do botijão. Por exemplo, um botijão com de pescoço de 15 cm de altura pode ter uma temperatura de -75°C no meio do pescoço (7,5 cm abaixo do topo), enquanto a temperatura aos 2,5 cm abaixo do topo pode ser -15°C.

Dentro da palheta, a recristalização, definida como a transformação de pequenos cristais de gelo no fluido extracelular em cristais de gelo maiores, ocorre quando a temperatura muda de abaixo -130°C para acima -130°C e para abaixo de -130°C novamente. Os cristais de gelo maiores danificam as membranas e as organelas dos espermatozoides, a severidade dos danos é dependente da elevação da temperatura e da duração da exposição à temperatura acima de -130°C.

As injurias aos espermatozoides (avaliado pela variação na motilidade) também foram relatadas nas variações de temperatura acima de -80°C. Esses danos ao espermatozoide não podem ser corrigidos retornando as palhetas de sêmen ao nitrogênio líquido, e esses danos podem ser aditivos, cada vez que os espermatozoide é exposto às variações de temperatura.

Importância de ter nitrogênio suficiente

O nível de nitrogênio líquido em um botijão pode afetar drasticamente a temperatura das palhetas repetidamente levantadas e abaixadas no tanque. Em um experimento clássico, a elevação de uma caneca (contendo um rack com 5 palhetas de sêmen) no pescoço do tanque por aproximadamente 1 minuto resultou em um aumento da temperatura da palheta de -196 para -180°C, quando o botijão estava cheio de nitrogênio líquido.

O aumento na temperatura da palheta é minimizado quanto o rack está com nitrogênio líquido no início da exposição. Além disso, a temperatura da palheta atingiu -196°C quase imediatamente após o retorno a posição de armazenamento.

Quando o nível de nitrogênio líquido no botijão estava baixo (aproximadamente 14 cm), no entanto, a temperatura das palhetas aumentou de -196 para -123°C, e um minuto depois do retorno à posição de armazenamento, a temperatura das palhetas ainda não tinha atingido -196°C.

Em resumo, monitore o nível de nitrogênio líquido do seu botijão semanalmente, e nunca o deixe ficar abaixo de 15 cm. Retire as palhetas rapidamente e mantenha todas as outras palhetas não utilizadas abaixo da linha de congelamento do pescoço do tanque.

-----

Você gostaria de saber mais sobre reprodução de bovinos? O artigo é do Médico Veterinário, José Luiz Moraes Vasconcelos e da médica veterinária, Ricarda Maria dos Santos, ambos instrutores da plataforma de cursos on-line, EducaPoint. Confira abaixo os cursos ministrados por eles:

Anatomia e fisiologia reprodutiva da fêmea bovina

Patologias do sistema reprodutivo: doenças uterinas e cistos ovarianos

Viabilizando a intensificação do uso da transferência de embrião em gado leiteiro

Para ter acesso a esse conteúdo, você pode fazer a aquisição dos cursos individualmente ou optar pela assinatura de todos os cursos da plataforma. 

Além desses cursos, atualmente contamos com mais 140 opções de temas, que contemplam toda a cadeia do leite, da carne, pastagens e forragicultura, além de temas ligados a desenvolvimento pessoal, gestão e cafeicultura. Os cursos podem ser adquiridos por meio de cartão de crédito, boleto ou depósito.

A assinatura, que dá acesso a todos os cursos e materiais disponibilizados no EducaPoint, pode ser feita em dois formatos: o plano semestral, cujo investimento é R$ 450,00 e dá acesso a todos os treinamentos por 6 meses, ou o pelo plano anual, cujo valor de R$ 750,00 dá acesso a um ano na plataforma e, ainda, o direito de escolher um curso à sua escolha para ter para sempre com você, sem pagar nada a mais por isso!

Texto publicado na Dairy Herd Manegement por Dr. Joseph C Dalton.

FONTE: MILKPOINT

Nenhum comentário até o momento...



Sindicato Rural - Rua Paraná, 3937 - Centro - Cascavel /PR - Fone (45) 3225-3437