CASCAVEL TEMPO

Adapar inicia inquérito epidemiológico da febre aftosa

Esta é uma das últimas providências para o reconhecimento internacional do Paraná de Área Livre de Febre Aftosa sem Vacinação pela Organização Mundial da Saúde Animal (OIE), prevista para ocorrer em 2021. O prazo para conclusão do inquérito é de quatro semanas.
  • Data de publicação: 20/05/2020

A Agência de Defesa Agropecuária do Paraná (Adapar) iniciou nesta segunda-feira (18) o inquérito soro-epidemiológico do rebanho bovino do Estado. Serão coletadas amostras do sangue de quase 10 mil animais em 330 propriedades rurais. Depois, as amostras serão enviadas para análise no laboratório oficial do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento, que divulgará o resultado em julho. “O inquérito servirá para comprovar que não há circulação viral de febre aftosa no Paraná”, explica o diretor-presidente da Adapar, Otamir Cesar Martins.
Para realizar o inquérito, os técnicos da Adapar visitarão as propriedades, utilizando os equipamentos de segurança necessários neste período. “Mesmo na pandemia do novo coronavírus, os prazos da OIE não se alteraram. E nós estamos tomando todas as medidas de biossegurança para execução dessa atividade”, diz o gerente de Saúde Animal da Adapar, Rafael Gonçalves Dias.
O secretário estadual da Agricultura e do Abastecimento Norberto Ortigara, destaca que a compreensão dos produtores paranaenses nesse momento é fundamental. “Pedimos a colaboração dos agricultores que serão visitados. O novo status sanitário vai ajudar a aumentar o protagonismo da produção paranaense no mercado internacional”.
ATUALIZAÇÃO CADASTRAL – Desde 1º de maio acontece a Campanha de Atualização de Rebanhos, que substitui a vacinação contra a febre aftosa no Paraná e, por conta da pandemia, se estenderá até 30 de novembro. “Essa é outra etapa essencial no processo de certificação do Estado como Área Livre. O cadastro é obrigatório para garantir a rastreabilidade e a sanidade de todo o rebanho paranaense”, explica o diretor-presidente da Adapar. 
A atualização de rebanhos deve ser feita preferencialmente de forma on-line, por meio do site da Adapar. Nele, o produtor encontrará o banner Campanha de Atualização do Rebanho, que possibilita acesso ao sistema de comprovação.

Notícias relacionadas:

A importância da vermifugação de equinos

Mosca-do-chifre causa estresse e desconforto no gado, afetando diretamente a produtividade das fazendas

Campanha de atualização dos rebanhos tem início no PR

Comentários Comente essa notícia

Nenhum comentário até o momento...

Deixe seu comentário